O Ministro da economia, Sr Paulo Guedes, do atual  Governo do Presidente da República Jair Bolsonaro, ofendeu ontem mais uma vez, dia 15 de maio de 2020,  em seu discurso os servidores principalmente os da Segurança Pública, Policiais Civis, Policiais Militares, Policiais Penais e outros Agentes como por exemplo da saúde.

Ao falar que a guerra não acabou: saiba senhor Ministro, para quem combate o crime no Brasil a guerra é diária.

Quanto a dizer ontem em receber medalhas antes de acabar a Guerra, como  disse em seu discurso, o servidor quer ser reconhecido pelo seu trabalho que já é de dedicação, no caso do Estado de São Paulo estão a mais cinco anos sem reajuste real, muito antes de qualquer pandemia de “covid-19” e recentemente com a promulgação da reforma previdenciária no Estado de São Paulo, o desconto da contribuição passou de 11% para 14%, ou seja, tiveram uma redução de salário.

Outro ponto abordado por ele, disse que estas pessoas que trabalham a mais recebem horas-extras, saiba o senhor Ministro que, quem Trabalha no Regime Trabalho Policial não faz jus a  esta gratificação, para plantonistas em poucos casos na saúde mas na segurança pública não.

Como  estes servidores  também não recebem fundo de Garantia por tempo de serviço “FGTS” e atualmente as férias e 13º salário foram suspensos pelo atual Governador do PSDB, João Dória, o sacrifício já está sendo feito a muito tempo.

Com um Governo em São Paulo que acabou com a esperança do servidor muito antes da “covid-19”, que em discurso disse que seria a Polícia mais bem paga do Brasil, a destruição vem de todos  os lados, comenta o presidente da entidade Sr Antonio Pereira Ramos “SINDESPE”, o governo Estadual e Federal trabalham em conjunto para destruir o funcionalismo público e tentam jogar a responsabilidade nas instituições representativas de classe.